Notícias

ADM e Cargill formam joint venture para vender óleo e farelo ao Egito

By | 27 Fev, 2018

A ADM e a Cargill, duas das maiores tradings do mundo, anunciaram a criação de uma joint venture para fornecer óleo e farelo de soja para os clientes do Egito.

A joint venture será proprietária e irá operar a National Vegetable Oil Company, fábrica de processamento de soja no município industrial de Borg Al-Arab. Ela também comandará uma operação na Suíça, responsável por fornecer soja à unidade de Borg Al-Arab.

A Cargill ainda será responsável por ampliar a capacidade de processamento da fábrica de 3 mil para 6 mil toneladas diárias. “A planta poderá produzir farelo de soja com maior índice proteico e reduzir a necessidade de importação de farelo de soja para o Egito”, segundo o comunicado das tradings.

“A joint venture reúne os conhecimentos operacionais e comerciais da Cargill e da ADM para atender a crescente demanda local de ingredientes para alimentos de alta qualidade”, disse Roger Janson, diretor do negócio de grãos e oleaginosas da unidade da Cargill na região, em comunicado.

“O Egito é um mercado importante, onde a demanda por óleo e farelo de soja de alta qualidade supera o resto do mundo. Ao reunir conhecimentos e recursos de duas grandes empresas, e utilizando uma instalação e infraestrutura existente, esta joint venture será posicionada para satisfazer a crescente demanda egípcia”, acrescentou John Grossmann, presidente da ADM na região.

A joint venture será gerenciada como uma entidade independente, composta por uma participação igualitária da ADM e da Cargill. Os gestores dessa joint venture irão se reportar a um conselho de administração nomeado pelas duas empresas-mãe.

Os ativos da joint venture não incluirão o negócio de grãos da Cargill e o terminal portuário em Dekheila, nem a joint venture ADM-Medsofts no Porto de Alexandria. Cada empresa continuará com suas atividades comerciais separadas no país e na região.

O acordo está sujeito à aprovações regulamentares e as empresas declararam que acreditam na formalização do negócio em meados deste ano.

Fonte: Valor, 27/02/2018.