Notícias

Ampliado calado em berço de terminal de contêineres

By | 24 Ago, 2016

O calado operacional no berço de atracação da Brasil Terminal Portuário (BTP), que fica na Alemoa, no Porto de Santos, foi ampliado na última quarta-feira pela Capitania dos Portos de São Paulo. As novas medidas, anunciadas ontem pela Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), foram alcançadas graças aos trabalhos de dragagem realizados pela Van Oord Operações Marítimas.

A definição do calado operacional nos berços é estratégica para a competitividade do complexo santista. Trata-se da altura da parte do casco do navio que permanece submersa. Quando uma embarcação atraca em um determinado berço, sua quilha (ponto mais inferior) tem de ficar com um espaço de folga – uma margem de segurança – até o leito. Ao descontar essa folga da profundidade local, tem-se quanto do casco do navio pode ficar submerso, ou seja, seu calado operacional máximo.

O calado do berço da BTP passou de 13,6 metros para 13,9 metros, na maré baixa. Já em períodos de maré alta, navios com até 14,2 metros podem atracar e operar no terminal. Antes, a restrição era de 13,9 metros.

A alteração ocorreu após os serviços de dragagem, contratados pela Codesp no final de março deste ano. Os trabalhos são realizados com a utilização de uma draga tipo escavadeira estacionária, com capacidade de seis metros cúbicos de caçamba e o apoio de dois batelões que realizam o despejo em área oceânica.

As prioridades de dragagem são definidas em conjunto com o setor de atracação da Codesp e o Sindicato dos Operadores Portuários (Sopesp).

 

Fonte: Jornal A Tribuna, 22/08/2016.