Notícias

CODESA apresenta o novo modelo de acesso ao Porto

By | 07 Dez, 2016

Devido à exigência legal de reestruturar o fluxo de veículos que transitam em toda a área portuária, a CODESA se reuniu nesta terça-feira (6), com autoridades federais e estaduais e o Sindicato dos Caminhoneiros (Sindicam/ES). A reunião aconteceu na sala do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Theodorico Ferraço.

Já existem resultados da reestruturação de acesso organizado, implantados em grandes portos do Brasil, inclusive no porto de Santos, em São Paulo, que diariamente registra a entrada de 13 mil caminhões, nos mais de 50 terminais. Tudo isso sem que haja fila.

Na área do porto organizado, sob a responsabilidade da CODESA, além de atender a legislação, a empresa começara a execução, ainda este mês, de uma obra no terreno atualmente ocupado por 170 caminhoneiros, diariamente, como estacionamento. A área pertence à união e será adequada para abrigar os caminhões com cargas agendadas para acesso ao porto.

Modernização
O presidente da CODESA, Luis Claudio Montenegro, que foi diretor do Porto de Santos e implantou o sistema naquela companhia, explicou a implantação do projeto, os resultados obtidos e a organização no acesso dos veículos. Depois respondeu perguntas dos participantes:

Onde esses caminhões aguardariam até o momento de entrada?
€œPara resolver esta questão, já foi estabelecida uma abertura de chamada pública, com a finalidade de credenciar algumas áreas de apoio logístico próximas ao porto, que irão servir de ponto de apoio para estes caminhões aguardarem sua entrada. Até o momento, houve a manifestação de 15 áreas interessadas em se credenciar, sendo que, algumas já foram credenciadas. As áreas terão que obedecer a pré-requisitos, como por exemplo, estrutura que ofereça ao caminhoneiro condições mínimas, enquanto permanecer naquele local.

Como funcionaria na prática?
€œAo efetivarmos o credenciamento das áreas, colocaremos em prática este projeto de organização. Os caminhões se direcionarão as estes pontos de apoio, onde permanecerão o tempo necessário, até o horário agendado para entrar no porto. Isso com todas as documentações aprovadas previamente. O trabalho terá muito mais segurança e eficiência. Estas medidas irão regular todo o fluxo, impedindo que as filas de caminhões se formem próximas às portarias.

Fonte: CODESA, 6/12/2016.