Notícias

Codesp vai exigir da VLI termo de compromisso

By | 30 Set, 2016

A Codesp, estatal que controla o porto de Santos (SP), vai exigir uma série de contrapartidas da VLI para a empresa continuar descartando o material de sua dragagem no chamado “bota-fora”, área oceânica licenciada pelo Ibama para receber o material das dragagens do porto público.

A estatal vai propor a assinatura de um termo de compromisso para assegurar que a VLI assuma a responsabilidade por impactos ambientais decorrentes da obra de expansão de seu terminal, principalmente na área de disposição oceânica. Se a VLI não cumprir as medidas, a autorização para usar o bota-fora será suspensa, diz a minuta do termo.

A VLI fica fora do porto público, em área privada, e recebeu uma autorização da Codesp no início do mês que gerou um racha na diretoria da estatal, pois foi aprovada unilateralmente pelo presidente da Codesp, Alex Oliva, à revelia dos quatro outros diretores, que não convalidaram a decisão.

Os diretores queriam um parecer final da gerência de meio ambiente para liberar o descarte. Oliva deu uma autorização “ad referendum”, instrumento para aprovar atos de urgência pendente de aprovação pelo colegiado um dispositivo do antigo estatuto da Codesp eliminado na revisão estatutária de 2015. O atual só permite decisões colegiadas.

O parecer saiu no meio deste mês e avalizou que o material da dragagem da VLI é adequado para disposição oceânica. Na lista de compromissos, a estatal quer um estudo para subsidiar o processo de licenciamento ambiental da expansão do bota-fora para áreas adjacentes; a realização de um levantamento batimétrico dessas áreas; a elaboração de um inventário de documentos a serem solicitados pelo Ibama; e campanhas de monitoramento intensivo do material despejado na área, entre outras.

Fonte: Valor Econômico, 30/9/2016.