Notícias

Cofco assume 100% da Nidera e amplia operações agrícolas

By | 24 Ago, 2016

A estatal chinesa Cofco Corporation, uma das maiores empresas de alimentos do país asiático, deu ontem aquele que pode ser considerado o último passo da primeira fase de sua agressiva expansão no mercado global de comercialização de commodities agrícolas.

Em comunicado, a companhia anunciou que, por meio da subsidiária Cofco International, adquiriu a fatia de 35% que ainda não tinha na trading holandesa Nidera, que mantém operações diretas em 19 países e cujas vendas somaram US$ 18,5 bilhões no ano passado.

Quando a transação receber o aval dos órgãos antitruste da China e de outros países que acharem por bem avaliá-la, o que deverá demorar até seis meses, a Nidera será integrada à Cofco Agri, filial da Cofco International que cresceu a partir da aquisição da divisão agrícola do grupo asiático Noble e faturou US$ 16,9 bilhões em 2015.

Esse plano começou a ser executado em 2014, quando a Cofco investiu quase US$ 3 bilhões e comprou participações de 51% tanto no braço agrícola da Noble quanto na Nidera. Os chineses não confirmam, mas é natural calcular que, para abocanhar as fatias restantes de ambas, o aporte total novamente se aproximou dos US,$3 bilhões.

Se de fato for autorizada pelos órgãos reguladores a absorver a Nidera, essa “nova” Cofco Agri de US$ 35 bilhões em vendas totais terá operações diretas em dezenas de países e cerca de 14 mil funcionários no total. Assim, resumiu em comunicado Patrick Yu, presidente da Cofco, será um marco no processo de fortalecimento da subsidiária controlada pela Cofco International como uma companhia de agronegócios de “classe global” .

E, como não poderia deixar de ser nesse mercado, essa categoria não seria alcançada sem uma forte presença no Brasil, que concentrará em torno de 7 mil funcionários do total previsto e a partir de onde Cofco Agri e Nidera exportaram, no total, pouco menos de US$ 5 bilhões em 2015, segundo estimativas de fontes da área.

“O país será, certamente, a principal origem das exportações da ‘nova’ Cofco Agri. Considerados só grãos e oleaginosas, a Argentina é até maior, mas do Brasil a Cofco Agri também exporta muito açúcar, que foi uma das heranças da Noble”, afirmou um especialista. Também em comunicado, a Cofco Corporation informou que a Cofco Agri vendeu a seus clientes, no ano passado, 47 milhões de toneladas de produtos em geral.

Em entrevista ao Valor em abril deste ano, o americano Matt Jansen, CEO global da Noble Agri, não fez mistério em relação à estratégia da companhia: o foco está na originação de matérias-primas, principalmente soja, para abastecer principalmente a grande demanda da China, que lidera as importações globais do grão.

“Mas não temos o compromisso de originar todo o volume processado pelas [seis] unidades de esmagamento da Cofco na China. Se valer a pena, podemos ir a mercado, até porque temos outros acionistas e a obrigação de gerar retorno, como outra empresa qualquer”, disse o executivo na ocasião.

Os investimentos do conglomerado chinês para a aquisição dos controles da divisão agrícola da Noble e da Nidera foram liderados pela Cofco International, mas também incluíram contribuições de um consórcio formado por Hopu Investment, Temasek, Standard Chartered Private Equity e IFC (braço do Banco Mundial).

E, segundo apurou o Valor, a expansão vai continuar. No momento, a Agri prospecta oportunidades no Brasil e Argentina em logística.

Fonte: Valor Econômico, 24/08/2016. Escrito por Fernando Lopes e Bettina Barros.