Notícias

Contrato de adesão assinado pelo Ministério garante implantação do Porto Central capixaba

By | 22 Mar, 2017

O secretário-executivo do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Fernando Fortes, assinou, nesta terça-feira (21/3), o contrato de adesão para a implantação do Porto Central, localizado no município de Presidente Kennedy, no Espírito Santo. A assinatura contou com a presença do diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), Adalberto Tokarski, e de representantes do Porto Central e do Porto de Rotterdã.

O Porto Central Terminal de Uso Privado (TUP), localizado no Estado do Espírito Santo, centro da costa brasileira, será um complexo industrial portuário privado de águas profundas, desenvolvido pelo Porto de Rotterdã e pela empresa TPK Logística S.A.

A expectativa é que o Porto atenda grandes empresas dos setores de petróleo e gás, mineração, agrícola, de apoio à indústria offshore, além de estaleiro e terminal de contêiner e carga geral, que devem movimentar cargas diversas – como veículos, produtos siderúrgicos, coque de petróleo para cimenteiras, soja, fertilizantes e carvão.

O valor dos investimentos totalizam R$ 2,24 bilhões, – que estão divididos em quatro etapas: a primeira, que já está em andamento, engloba os projetos, gestão ambiental, licenças e autorizações. A segunda e a terceira, vão de 2017 até 2019 e incluem questões fundiárias e aquisição de terrenos e a implantação de infraestrutura. A quarta, de 2020 a 2021 inclui a implantação da superestrutura.

Durante a assinatura, Fortes enfatizou a grandiosidade da obra e sua relevância para a logística e comércio exterior do País. “O projeto traz o know how de relacionamento do Porto de Rotterdã e isso vai ajudar o Brasil a atrair cada vez mais parceiros que pretendem investir por aqui”, afirmou o secretário-executivo.

O diretor-geral da Antaq, Adalberto Tokarski, falou das vantagens da assinatura do contrato. “O Porto Central é muito importante para o Brasil. Sua posição estratégica vai ajudar no escoamento da região Centro-Oeste”, disse.

O início da obra está previsto para março de 2017. Estão previstos 4.800 empregos diretos e 20.000 indiretos durante a construção e implantação das quatro etapas.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, 21/3/2017.