Notícias

Exportações crescem 33% no Porto de Suape

By | 13 Fev, 2019

Em 2018, o Porto de Suape registrou um crescimento de 33% na exportação, somando 2,4 milhões de toneladas de cargas enviadas para outros países, ante 1,8 milhão de toneladas em 2017. Os derivados de petróleo foram as principais cargas movimentadas na navegação de longo curso (entre países).  Suape se manteve na liderança nacional, entre os 30 portos públicos do País, no transporte de granéis líquidos e na navegação de cabotagem (entre portos de um mesmo país).

“O desempenho do Porto de Suape na movimentação de cargas, em 2018, mostra o potencial que temos para crescer ainda mais na cabotagem e nas exportações. O cenário para este ano é muito animador. Com a devolução da autonomia e a retomada do crescimento econômico, temos a expectativa da chegada de projetos portuários e industriais de grande porte que vão contribuir para o aumento na movimentação de cargas e fortalecer a economia do Estado”, analisa Leonardo Cerquinho, presidente do Complexo Industrial Portuário de Suape.

Das 23,4 milhões de toneladas de cargas movimentadas em 2018 por Suape, 17,6 milhões de toneladas foram de granéis líquidos (óleo diesel, gasolina, querosene de aviação, óleo bruto de petróleo, entre outros derivados), carga que representa 75% da movimentação do porto e teve crescimento de 0,55% em relação a 2017. O volume faz de Suape um hub port desse tipo de carga no Norte e Nordeste.

Já os granéis sólidos tiveram crescimento de 22%, saltando de 382,9 mil toneladas em 2017 para 465,5 mil em 2018. “Essa elevação se deve ao incremento na movimentação de trigo que registrou uma alta de aproximadamente 25%, ou seja, 80,9 mil toneladas a mais comparando-se com 2017”, salienta Cerquinho.

A cabotagem, que continua sendo a principal navegação em Suape, teve crescimento de 3% em relação a 2017, somando 15,7 milhões de toneladas. Destaque mais uma vez para os derivados de petróleo, que registraram 6,4 milhões de toneladas na cabotagem, seguidos pelos óleos brutos de petróleo com 3,9 milhões de toneladas.

Impactada pela crise econômica, a importação de cargas totalizou 7,6 milhões de toneladas, queda de 8% em relação a 2017. A movimentação de veículos (que tem a Argentina como principal importador)  caiu 17% em 2018, somando 66.284 unidades, 13.772 a menos que 2017, quando o porto alcançou o recorde de 80.080 veículos.

Mesmo com uma queda de 1,3% nos contêineres — foram movimentados 454,7 mil TEUs contra 460,7 mil TEUs no ano passado , o Porto de Suape continua sendo o principal movimentador de contêineres das regiões Norte e Nordeste, à frente dos portos de Salvador (BA), Pecém (CE) e Vila do Conde (PA).

A carga geral solta, categoria na qual se enquadram as cargas de projetos, peças para indústria, maquinários, entre outros, registrou queda de 36,4% e fechou o ano com 249,6 mil toneladas. No acumulado de 2018, o total de cargas movimentadas no Porto de Suape ficou 0,8% abaixo do ano anterior, com 23,6 milhões de toneladas. Ainda assim, o porto manteve a quinta colocação entre os 30 portos públicos do país, atrás de Santos (SP), Itaguaí (RJ), Paranaguá (PR) e Rio Grande (RS). No cenário regional, é líder no Norte e Nordeste, com a maior movimentação de 2018 entre todos os portos.

Tanto na importação quanto na exportação, os destinos predominantes das movimentações foram os portos localizados em Singapura, Estados Unidos, Argentina, Holanda, Colômbia e Tailândia. As cargas conteineirizadas importadas e exportadas somaram 1,2 milhão de toneladas.

Fonte: Portos e Navios, 12/2/2019.