Notícias

Grupo árabe pretende investir R$ 2 bi em terminal portuário

By | 19 Jul, 2017

Objetivo é viabilizar a construção do T-Green, às margens do Canal de Piaçaguera

T-Green deve ser construído entre o Canal de Piaçaguera e o Rio Cubatão

 

Um grupo de empresários do Golfo Pérsico pretende investir R$ 2 bilhões na construção de um terminal de granéis sólidos e líquidos, na Ilha das Cobras, em Cubatão, às margens do Canal de Piaçaguera. Trata-se do T-Green (T-verde, na tradução do inglês), que é projetado para ter operações sustentáveis e deve gerar cerca de mil empregos na região. O prazo para implantação da instalação portuária é de quatro anos.

A intenção de investir no terminal portuário foi revelada pelo cônsul honorário do Sudão em São Paulo, Mohamed Hussein El Zoghbi. Segundo ele, que também é presidente da Federação das Associações Muçulmanas do Brasil (Fambras), o grupo empresarial interessado pela área já investe no Brasil e tem amplo conhecimento do mercado portuário e de granéis sólidos.

“Esse projeto nasceu há um bom tempo. Nós estivemos na Ilha das Cobras, vimos o potencial e começamos a trabalhar. O projeto tem um diferencial importante e houve interesse por parte de fundos e de empresas no Golfo”, destacou Zoghbi.

A preocupação em tornar o T-Green um terminal sustentável é o diferencial que atrai o grupo investidor. De acordo com o consultor da Portoconsult Negócios e Participações, Antonio Bernardo Neto, a nova instalação portuária contará com painéis para geração de energia solar e reutilização da água da chuva. Além disso, também serão implantadas fontes de energia alternativa para as operações dos navios, evitando a queima dos combustíveis dos cargueiros.

No entanto, segundo Zogbhi, há apenas uma restrição ao projeto. Para que o grupo do Golfo invista na área, é necessária a suspensão da abertura de cavas subaquáticas que servirão como depósito de material contaminado dragado no Canal de Piaçaguera. As restrições operacionais causadas por estas interferências e ainda a preocupação com o meio ambiente são os motivos dessa condicionante.

As cavas estão localizadas nas proximidades da Ilha das Cobras e estão sendo construídas no Canal de Piaçaguera para. Todos os sedimentos dragados nesta região do Porto de Santos serão depositados no local.

“Eu acho que nós avançamos muito e precisamos trabalhar para que esse projeto se concretize. Estamos trabalhando. Há interesse. Mas este é o único entrave”, destacou Zoghbi.

Além da geração de empregos na região, os responsáveis pela implantação do T–Green prometem compensações sociais e culturais. Entre elas estão o apoio para a reabertura do Hospital Modelo de Cubatão e a projetos da Pinacoteca Benedicto Calixto, em Santos.

Projeto

O T-Green deve ser construído entre o Canal de Piaçaguera e o Rio Cubatão, no interior do Estuário de Santos, em frente à região da Alemoa. A área pertence ao empresário Sérgio Amaral Santos, responsável pela Ilha das Cobras Empreendimentos Imobiliários.

De acordo com o consultor da Portoconsult, as exportações de produtos agrícolas devem girar em torno de 6 milhões de toneladas por ano no T-Green. A instalação contará com acesso ferroviário que ainda será implantado e, com isso, a expectativa é reduzir o tráfego de caminhões carregados com grãos nas cidades.

A previsão da Portoconsult é de que o T-Green tenha capacidade para armazenar até 300 mil toneladas de grãos. Além disso, estão previstos ainda 200 mil metros cúbicos de tancagem para combustíveis no novo terminal.

Com essas características, a expectativa é de que o empreendimento conte com certificação internacional de Porto Verde.

Fonte: A Tribuna, Fernanda Balbino, 18/07/2017.