Notícias

Movimentação de cargas: porto de Paranaguá registra crescimento de 14,6%

By | 24 Abr, 2018

Em março deste ano a movimentação de cargas no porto de Paranaguá contou com 4,93% de toneladas, maior índice já alcançado. Neste ano, o volume foi de 14,6%, resultado maior, se comparado a março de 2014; o aumento foi devido ao crescimento das vendas de milho, farelo de soja e de cargas gerais.

De janeiro a março de 2018, o porto teve 12,73 milhões de toneladas importadas e exportadas. Tendo 9% de volume superior movimentado para um primeiro trimestre até o momento. É perceptível que, com a recuperação da economia brasileira, o campo tem produzido mais.

Com a diminuição da safra americana de milho, os grãos brasileiros garantem seu lugar nas exportações mundiais deste ano. De acordo com o diretor presidente da Administração dos Portos Paranaguá e Antonina (Appa), o porto de Paranaguá está preparado para esse momento, uma vez que consegue ver o volume de demanda de seus usuários.

Segundo os dados apresentados, no primeiro trimestre deste ano foi exportado quase o dobro de milho ao mercado externo, sendo 667 mil toneladas, isso aconteceu no mesmo período do ano passado, em que foram exportadas 379 mil toneladas do grão.

Pesquisas apontam o aumento na movimentação do farelo de soja

Segundo as pesquisas, o farelo de soja teve uma movimentação bastante significativa no mesmo período, tendo 463 mil toneladas exportadas no mês de março e 1,48 milhões de toneladas exportadas nos primeiros três meses de 2018, representando uma alta de 52% relativa ao trimestre de 2017.

O porto de Paranaguá exportou para o mercado europeu, em um único navio, 87 mil toneladas de farelo de soja, granel e vegetal. Além das reformas realizadas, a fim de reforçar o Corredor de Exportação, foram feitas campanhas de dragagem para ampliar o canal e liberar operações maiores, reafirma o diretor.

Outra movimentação registrada no primeiro trimestre de 2018 foi o aumento na exportação de óleos vegetais com 316 mil toneladas e 85% de alta; já os derivados de petróleo, 1,2 milhões de toneladas. Houve, também, 38% de crescimento das cargas gerais, ou seja, 2,48 milhões movimentados e um total de 12% de aumento.

Fonte: Exame, 23/4/2018.