Notícias

Porto de Santos lidera movimentação portuária do país com 107,5 mi de toneladas em 2018

By | 13 Fev, 2019

O setor portuário nacional, formado por portos organizados (públicos) e por terminais privados, movimentou 1,117 bilhão de toneladas em 2018, registrando crescimento de 2,7% em relação a 2017. Santos aparece na primeira posição entre os complexos públicos, tendo operado 107,5 milhões de toneladas. Os números foram divulgados nesta terça-feira (12) pela Gerência de Estatística e Avaliação de Desempenho da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), o órgão regulador do setor.

No ranking dos portos públicos, em segundo lugar ficou Itaguaí (RJ), com 56,6 milhões de toneladas. No terceiro lugar, está Paranaguá (PR), com 48,5 milhões. Depois, aparecem Rio Grande (RS), com 27,2 milhões, e Suape (PE), que movimentou 23,4 milhões de toneladas.

O levantamento também apontou que os portos públicos movimentaram 374 milhões de toneladas no mesmo período, com um aumento de 2,6% em comparação aos 395 milhões em 2017. Já os terminais privados responderam por 743 milhões de toneladas, alta de 2,8% em relação aos 723 milhões registrados nos dados anteriores.

No geral, o sistema portuário movimentou 712,8 milhões de toneladas de granel sólido, 2,4 % a mais que em 2017, seguido de 235,1 milhões de granel liquido, 1,9% a mais. Os contêineres somaram 112,8 milhões de toneladas, um crescimento de 4,8%. Outros 56,7 milhões de toneladas ficaram destinadas a carga geral solta.

Mercadorias

Entre as principais cargas transportadas, estão o minério de ferro, com 407 milhões de toneladas, representando 36% do total registrado em portos e terminais. Em seguida, estão os combustíveis, com 203 milhões de toneladas, 18,2% a mais que em 2017, depois os contêineres, com cerca de 113 milhões de toneladas, com 10,1 % a mais, e a soja com, 102 milhões de toneladas, apontando um aumento de 9,1%.

A pesquisa da Antaq também considerou os volumes transportes por tipo de navegação: a de longo curso, a de cabotagem (movimento de cargas em navios pela costa brasileira ou até outros países da América do Sul) e a de interior (em rios e hidrovias da nação). Em relação às operações de longo curso, o total de cargas chegou a 823 milhões de toneladas, um crescimento de 32% entre 2010 e 2018. Já a cabotagem apresentou uma alta de 26% no mesmo período, somando 229 milhões de toneladas 26%. A navegação interior transportou 61 milhões de toneladas, 105% a mais de 2010 a 2018.

Fonte: A Tribuna, 12/2/2019.