Notícias

Programa de concessões será apresentado a investidores na Europa e no Oriente Médio

By | 09 Nov, 2021

Chegou a vez do roadshow promovido pelo Ministério da Infraestrutura sobre o maior e mais sofisticado programa de concessões de infraestrutura de transportes passar pela Europa e pelo Oriente Médio. Nos próximos 10 dias, entre 7 e 17 de novembro, o ministro Tarcísio Gomes de Freitas estará em Paris, Milão, Madri, Abu Dhabi e Dubai apresentando a carteira de projetos do Governo Federal a operadores mundiais e fundos soberanos de investimentos.

A primeira parada do novo roadshow acontecerá em Paris (FRA), com duração de dois dias, seguida de uma passagem para encontros em Milão (ITA), e outros dois dias de reuniões em Madri (ESP). Na sequência, o ministro Tarcísio Freitas viajará aos Emirados Árabes, onde terá reuniões em Abu Dhabi e Dubai. Nesta última parada, está programada a participação no painel “Oportunidades em Infraestrutura no Brasil” do Fórum Invest In Brazil, além de uma visita ao pavilhão do Brasil na Expo Dubai 2020.

No início de outubro, Tarcísio Freitas esteve durante cinco dias em Nova Iorque, reunido com investidores, executivos de instituições e fundos financeiros para fazer um balanço do programa de concessões do MInfra. Na Europa, o objetivo é conversar com os principais operadores de infra do mundo, entre empresas que já atuam no Brasil e empresas que estão interessadas em conhecer o portfólio de concessões do governo federal. O período coincide com o intervalo de leilões programados na Super Infra, temporada de grandes concessões promovida pelo MInfra.

“É sempre importante conhecer, apresentar e ouvir as demandas do mercado. Em cinco dias nos Estados Unidos, foi possível nos reunirmos com mais de 40 grupos de investidores diferentes, e não será diferente nessa passagem pela Europa e pelo Oriente Médio. A gente percebe o grande interesse pelo pacote de infraestrutura brasileiro, que já é uma grande realidade e vai transformar o futuro do Brasil”, avalia o ministro.

Desde 2019 até aqui, quase R$ 90 bilhões já foram contratados para o incremento da logística nacional com as concessões de 34 aeroportos, seis rodovias, seis ferrovias – entre concessões, renovações e investimento cruzado –, 31 arrendamentos, além de autorizações para 99 terminais de uso privado.

LEILÕES – De outubro a dezembro, o Governo Federal, através do MInfra, realiza a Super Infra, uma temporada de leilões que pretende atrair cerca de R$ 23,5 bilhões em investimentos privados ao setor de transportes. Vencido pelo grupo CCR, o primeiro certame garantiu quase R$ 15 bilhões em investimentos na rodovia Dutra/Rio-Santos, em 29 de outubro.

Restam ainda o maior leilão de arrendamento portuário, com duas áreas destinadas a combustíveis no porto de Santos, que receberão cerca de R$ 1 bilhão em melhorias por parte do setor privado, em 19 de novembro, e a concessão das rodovias BRs 381 e 262, em Minas Gerais e Espírito Santo, marcada para 20 de dezembro com mais R$ 7 bilhões a serem aportados ao longo do contrato.

PROJEÇÃO – Ao mesmo tempo, outros projetos avançam com a possibilidade de publicação de edital ainda este ano – com leilões ocorrendo em 2022. Ou seja, mais investimentos garantidos para o setor. São eles: a relicitação do aeroporto de São Gonçalo do Amarante, no Rio Grande do Norte (R$ 308 milhões); concessão rodoviária das BRs 116, 493 e 465, entre Rio de Janeiro e Governador Valadares (R$ 7 bilhões); e a primeira desestatização portuária, da Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa), com investimentos de pelo menos R$ 780 milhões. O MInfra também trabalha para a renovação antecipada de contrato da malha ferroviária da MRS no sudeste do país, com mais R$ 16,7 bilhões a serem investidos.

O próximo ano ainda será marcado pelos leilões de 16 aeroportos, com destaque para Congonhas (SP) e Santos Dumont (RJ), a desestatização do Porto de Santos, concessão da Ferrogrão, de Sinop (MT) a Miritituba (PA), e mais de 12 mil quilômetros de rodovias, com destaque para o anel de integração do Paraná (R$ 44 bilhões em investimentos). Um total que ultrapassa pelo menos R$ 160 bilhões de investimentos a serem contratados pelo Governo Federal.