Proposta impede o transporte de cargas na hipótese de frete abaixo do piso mínimo
O Projeto de Lei 3344/21 impede a emissão do Documento Eletrônico de Transporte (DT-e) para a realização de transporte rodoviário de cargas em caso de violação do piso mínimo aplicável para o frete. O texto está em análise na Câmara dos Deputados.

Atualmente, a Lei 13.703/18, que instituiu a Política Nacional de Pisos Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas, determina que toda operação de transporte rodoviário de cargas deverá ser realizada por meio de DT-e previamente emitido.

Segundo a norma, esse documento deverá conter:

- os dados do contratante e do contratado – ou subcontratado, se houver –;

- informações da carga, da origem e do destino; e

- a forma de pagamento do frete, com indicação expressa do valor pago ao contratado ou subcontratado e do piso mínimo de frete aplicável.

“A ideia é preservar um direito já adquirido para o transportador autônomo de carga, elo mais frágil”, disse o autor da proposta, deputado Nereu Crispim (PSD-RS). Segundo ele, a mudança deverá permitir que caminhoneiros autônomos possam prestar serviços tendo garantida, pelo menos, a cobertura dos custos.

Tramitação

O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Viação e Transportes; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Leia Também Outras Notícias

Agência Porto
| 29 Jan, 2023

Porto de Cabedelo tem R$ 11,7 milhões em obras sendo executadas na Área Primária

Leia mais
Agência Porto
| 29 Jan, 2023

MPPR e MPF recomendam ao Ibama a suspensão de licença de obra de dragagem no Porto de Paranaguá que tem causado danos ambientais

Leia mais
Agência Porto
| 29 Jan, 2023

Porto de Itajaí terá nova linha de contêineres

Leia mais

Como podemos ajudar?

Conte como podemos auxiliar com um dos nossos serviços e soluções.

Solicite um orçamento

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Privacidade.