Codesp publica novo edital da dragagem


A Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) publica nesta quarta-feira (10) o novo edital da licitação para a contratação, por um ano, da dragagem de todo a extensão do canal de navegação do Porto de Santos. O texto estará disponível para consulta, a partir da próxima quarta-feira, no portal de compras do Governo Federal. A abertura das propostas ocorrerá no dia 23.




Esta é a segunda tentativa de contratar o serviço em menos de um mês. A primeira foi suspensa pela Codesp devido a questionamentos do edital por empresas participantes. O texto foi revisto, mas a Docas não informou se pontos foram alterados e, em caso positivo, quais foram eles.




A licitação é fundamental para garantir a continuidade da obra, já que o atual contrato assegura a atividade apenas até 15 de outubro. A estatal trabalha com a possibilidade de concluir o processo licitatório em cerca de um mês. Mas isso só acontecerá se não houver recursos ou impugnações e, ainda, se todos os documentos da empresa habilitada estiverem em dia e forem apresentados no prazo estipulado.




Como na primeira tentativa, a contratação será feita através de um pregão eletrônico, que inverte a ordem de análise dos documentos das participantes. No entanto, a expectativa é de que, agora, as empresas concorrentes não apresentem questionamentos que impeçam a continuidade do certame.




No dia 23, serão conhecidos os valores ofertados pelas firmas interessadas em dragar o Porto. Em seguida, a comissão de licitação irá verificar se a empresa tem condições econômica, financeira e jurídica, além de regularidade fiscal. Para a Docas, essa inversão garante maior rapidez e eficiência ao processo.


A Autoridade Portuária tem pressa de concluir essa licitação porque o contrato vigente com a Van Oord Operações Marítimas, que prevê a dragagem do canal de navegação entre a Barra de Santos e a Alemoa, será encerrado em 15 de outubro e não há possibilidade de renovação. A expectativa da Docas é investir R$ 116 milhões nessa nova obra, que é essencial para garantir a profundidade e a competitividade do cais santista.




As empresas participantes deverão apresentar capacidade compatível para a realização do serviço, utilizando uma draga tipo Hopper, de sucção e autotransportadora, com produtividade de retirada de 20 mil metros cúbicos de sedimentos ao dia.

O contrato prevê a extração de até 4,3 milhões de metros cúbicos de lama do fundo do canal.




Serviço atual 




Hoje, a dragagem da via de navegação do Porto é realizada pela holandesa Van Oord. Ela assumiu a tarefa após um aditivo em seu contrato original feito há quase três meses.




Inicialmente, a empresa havia sido contratada para dragar apenas o Trecho 1 do canal, que vai da barra até a Ponta da Praia. Nessas condições, ela teria de retirar 1,5 milhão de metros cúbicos de sedimentos.




Para assumir toda a extensão do canal, da barra até a Alemoa. a empresa teve reduzido o volume a ser dragado, que agora é de 940 mil metros cúbicos de sedimentos.

Fonte: A Tribuna, 10/8/2016.


Read Also Other News

Agência Porto
| 24 Nov, 2022

Proposta impede o transporte de cargas na hipótese de frete abaixo do piso mínimo

Read more
Agência Porto
| 24 Nov, 2022

Investidores noruegueses visitam Porto de Suape

Read more
Agência Porto
| 24 Nov, 2022

Cinco ativos de infraestrutura são prioritários para receber incentivos fiscais

Read more

How can we help?

Tell us how we can help with one of our services and solutions.

Request a quote

This website uses cookies to personalize content and analyze website traffic. Meet our Privacy Policy.