MAERSK ESPERA RECUPERAÇÃO DAS IMPORTAÇÕES ATÉ FINAL DE 2016
A Maersk Line espera recuperação das importações até o final de 2016. A empresa, que apurou quedas de até 40% no comércio de produtos provenientes da Ásia nos primeiros meses de 2016, observa que algumas indústrias estão com estoques muito baixos porque pararam de trazer insumos devido à crise e consequente queda no consumo interno. “Só pelo reposicionamento de estoque os números já começam a melhorar”, explica o diretor de trade e marketing da Maersk Line, João Momesso.

A empresa observa que as Olimpíadas do Rio de Janeiro não geraram uma demanda específica relevante para o setor de navegação. A percepção da Maersk é que os negócios ainda estão no compasso de espera e que o mercado está otimista de que haverá um desfecho da situação política brasileira após as Olimpíadas. Momesso acredita que, qualquer que seja esse desfecho, é preciso manter ações pró-desenvolvimento da economia. “Acreditamos que a importação vai se recuperar mais para o fim do ano. Com isso, vamos ter os contêineres necessários na nossa costa para poder continuar suprindo a exportação”, projeta.

No geral, a movimentação da Maersk na costa leste (Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai) no primeiro semestre ficou um pouco abaixo do esperado em volumes totais. O Brasil corresponde a mais de 70% dos negócios da Maersk nessa região, cujos países sofreram reflexos da retração da economia brasileira.

De acordo com a Maersk, as exportações brasileiras voltaram a crescer com a desvalorização do real frente ao dólar e o câmbio ainda permite um bom volume de vendas de produtos para o exterior. Momesso destaca a conteinerização de cargas a granel nos últimos anos, como o açúcar transportado por contêiner para o Oriente Médio.

A Maersk também continuará com foco em cargas refrigeradas, cujas exportações surpreenderam nos primeiros meses do ano. A exportação de carne bovina para a China, por exemplo, cresceu em torno de 70% no primeiro semestre em relação aos mesmos meses de 2015. Recentemente, o grupo adquiriu 30 mil contêineres refrigerados para sua frota global.

Fonte: Portos e Navios, 1/8/2016.

Read Also Other News

Agência Porto
| 24 Nov, 2022

Proposta impede o transporte de cargas na hipótese de frete abaixo do piso mínimo

Read more
Agência Porto
| 24 Nov, 2022

Investidores noruegueses visitam Porto de Suape

Read more
Agência Porto
| 24 Nov, 2022

Cinco ativos de infraestrutura são prioritários para receber incentivos fiscais

Read more

How can we help?

Tell us how we can help with one of our services and solutions.

Request a quote

This website uses cookies to personalize content and analyze website traffic. Meet our Privacy Policy.